sábado, 27 de junho de 2009

TEMPO AFIADO NO LÁPIS


Uma natureza
Na mesa
Diz-se morta
Por ser plástica
Estática
No fundo das cores
Umas vezes vivas
Outras esbatidas

Os frutos de um olhar adormecido




DESENHO: João
POEMA: Regina

3 comentários:

Graça Pires disse...

Natureza adormecida no poema...
Um beijo.

teresa g. disse...

Hoje era para correr as capelinhas todas, mas ainda não recuperei neurónios suficientes para ler este blog com olhos de ler.
Me aguardje (mas como diz o meu amigo Devesa, sentada)

privada disse...

Ei foram de férias? dps queixem-se que o país só vende fruta morta